domingo, 18 de maio de 2014

A verdade é um emaranhado de possibilidades

 "Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem mal; que fazem da escuridade luz e da luz escuridade; põe o amargo por doce e o doce por amargo. Isaías 5:20" 

A verdade, aquela absoluta, que não pode ser contestada deixou de existir, existe uma outra que prega: há sempre uma nova possibilidade. Talvez, uma outra definição para preencher o dicionário, sem o "the end". A verdade é, que de uma forma bem sutil, o seu uso está em declínio. A linguística pode explicar esta mudança, uma palavra deixa de ser usada na fala e acaba por deixar de existir na escrita também, é a língua em movimento.
Além do desuso da palavra a sua significação está em declínio; não queremos saber de verdades, assim, jogadas na cara, soltas ao vento, soa de modo grosseiro, machuca,  talvez caia melhor umas meias verdades, assim, para não magoar ninguém. Essa coisa de facebook, whats up, é ótimo, não precisamos nos preocupar muito, substituímos por umas palavrinhas mais doces, um vocabulário mais adequado,  apesar que, açúcar em excesso não faz bem, mas nesse caso ate que é aceitável, gostamos de gente melosa, que usa as palavras para adoçar, pode até ser de mentira, mas tudo bem, verdades são tão agressivas, azedam o dia, melhor uma mentirinha doce, do que uma verdadezinha azeda.
Neste emaranhado de possibilidades para a verdade, toma cuidado para não se acostumar a mentir, a ser falso, a tornar-se um bajulador, a não ter opinião própria, capacho de um sistema hipócrita que dita até o que posso ou não dizer. A verdade é uma só, não se pode agradar sempre. Nem tudo que você diz, sai do coração. Amigo de verdade não precisa ser bajulado, só amado. Eu tenho que amar você de qualquer jeito, mesmo com todos os seus defeitos. Somos todos humanos, brancos, pretos, amarelos, mestiços, cheios de imperfeições. Mas a verdade, de verdade, não pode ser colocada tão longe que não consiga ser  alcançada, é bom tê-la sempre por perto, a mentira está sempre por perto, esperando para ser usada. Como num labirinto, às vezes, os caminhos escolhidos não levam a lugar algum.