sábado, 29 de agosto de 2015

Renascimento

O movimento renascentista foi o grande marco na história da ciência e das artes para a humanidade.  Foi um tempo de renascer, de buscar um jeito novo de fazer as coisas. A sociedade vivia uma inquietação muito próxima da que vivemos hoje. Queriam mudanças, a qualquer preço e custo, mesmo sem saber que mudanças queriam. Esse sentimento de luta ficou lá no passado
Fazemos parte de uma sociedade moderna e acomodada. Temos acesso a tecnologias infinitas e mesmo assim o pessimismo impera em todos os setores.Não há esperança para dias melhores,
Há que se encontrar algo que preencha o vazio instalado nos corações, que coloque esse desânimo pra fora da nossas vidas. É necessário renascer, arrancar as folhas velhas e deixar a vida tomar um novo rumo. Quem sabe uma profissão nova, mais prazerosa, que te faça mais feliz. Ou talvez um curso diferente, por mais absurdo que possa parecer, dinheiro não traz felicidade, apenas compra coisas, e ás vezes você não precisa de coisas para preencher a sua vida. Precisa de amigos, de família, ser feliz na profissão que escolher. Não tenha medo em recomeçar. Eu, aos  42 anos decidi por uma profissão nova, voltei a estudar, fui fazer faculdade de letras e além de tudo, montei uma loja de decoração e presentes, que eu adoro. Não encontro tempo para o desânimo, me sinto produtiva, animada com todas as minhas conquistas, sem falar que depois de 20 anos morando no mesmo lugar, mudei de cidade, de igreja, comecei tudo novo.  E estou muito feliz pelas minhas decisões.  É preciso às vezes deixar de sonhar e colocar os planos em prática e se não der o primeiro passo com medo de errar, eles serão apenas sonhos e frustrações no futuro. O tempo do renascimento é agora! A sociedade clama por mudanças mas se acovarda diante dos desafios. Vai caminhando, um passo de cada vez. Deus vai a frente colocando todas as coisas no lugar e tirando as pedras do caminho.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Maturidade fora da caixa

Nada pode apagar as marcas daquilo que já vivemos. Nossas experiências são únicas. Nosso corpo, nossa mente, detém as marcas dessas experiências. Elas representam nossa vida.Não precisamos provar nada para ninguém. Vivamos cada minuto como se fosse o último. Com todas as nossas imperfeições. Somos maravilhosas. As mulheres mais lindas do mundo. E essa beleza está em ser única. A maturidade nos permite isso. Não aceite ser comparada com outra. Não queira ser estereotipada. Não aceite essa identificação massificante. Não somos uma coisa que precisa ser manipulada. Somos o que somos, porque a nossa história foi escrita em muitos capítulos, um por dia, no grande livro da vida e essa vida é sua. Não tem espaço para outras histórias. Podemos escolher contar a nossa história de outro jeito, do jeito que quisermos, O corpo? Ah, o corpo, como será o ,ideal? Não importa, quem terá sabedoria suficiente para dizer qual é o mais adequado?  O tempo? Não, ele é democrático, intercala os padrões, ora um, ora outro. Percebo que ninguém está capacitado o suficiente para escrever a minha história. Não aceite ser enfiada, amassada dentro de uma caixa, de uma forma e nos descartar porque não nos adequamos aos padrões estabelecidos por uma minoria que acha que  detém o poder, para estabelecer padrões de beleza e comportamento. Em busca de se manter dentro deste grupo padronizado. Alguns se recusam a seguir o curso da sua história, da sua vida e a custa de muito sacrifício se tornam caricaturas de gente, motivo até de piada para alguns. Não pretendo entrar dentro desta caixinha. O sujeito assujeitado da história pode se recusar a ser transformado nesta caricatura. Basta viver a sua vida com todas as suas alegrias e tristezas, em todas tapas, curtindo cada momento especial que a vida lhe oferecer. A maturidade representa a soma de tudo isso, a soma de todos os seus dias, um após o outro. É possível ser feliz fora destes padrões pré estabelecidos. A escolha é sua, ninguém pode intervir. Faça o que lhe der na telha ou então: começa a economizar agora para o botox do futuro!

Déa Corrêa



Portas abertas

Sentimos medo em começar novos relacionamentos.
Fechamos as portas das nossas vidas por receio de um sofrimento que nem sabemos se irá acontecer.
Como árvores que vivem numa mesma floresta e se mantém afastadas, fechamos as portas da nossa vida e perdemos a oportunidade de experimentar a alegria das boas novas, das coisas diversificadas.
Ás vezes é preciso deixar o medo do lado de fora e se jogar na vida, sem receio de sofrer. Fazer as mesmas coisas, conviver com as mesmas pessoas, manter a vida dentro de uma caixinha, não é garantia de que tudo correrá bem. O novo pode ser prazeroso, pode representar mudanças na vida e é essas mudanças que renovam a nossa alegria de viver. Nem sempre o que já foi feito, o que já foi dito, o que já foi compartilhado, representa a mesma escala de valores para a outra parte.
Até mesmo numa floresta com árvores rareadas, algumas conseguem esticar os seus galhos e tocar a outra, ás vezes esse pequeno gesto representa a diferença entre a vida e a morte. Juntas, elas, as árvores são muito mais fortes. Estica os braços, sem medo de alcançar o desconhecido, de viver o novo, você pode se surpreender com a criatividade de Deus em nos proporcionar coisas boas....
Déa Corrêa
  



segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Soprando as cinzas


A tristeza entra em nossa vida sem motivo aparente, basta uma fresta pequena que ela se instala e faz dali a sua casa. Vai aos poucos apagando o brilho da alegria sobre tudo que fazemos, Não achamos graça em nada. Entendemos o verdadeiro significado da palavra desgraçado, que quer dizer, destituído da graça de Deus. Os dias são de pura cinza, como a imagem desta rosa.  Começamos o dia buscando motivos para estar tristes, angustiados, com o coração apertado. E os motivos se multiplicam, todos os dias teremos alguns para chorar e um ou outro para sorrir. Hoje estou triste por isso. Amanhã por aquilo. E quando menos se espera a sua vida se torna em um mar de cinzas.
Não é possível explicar o que leva uma pessoa a ser depressiva, cada um tem a sua explicação, clínica, emocional, espiritual. E se nada for feito é um caminho que leva a morte.
A alegria de viver é o segredo para se manter vivo. Não são relevantes os seus motivos de tristeza. Deixam de ser importantes diante da grandeza da vida.
A cada romper do dia é preciso buscar motivos para viver feliz, como diz a musica;" levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima". Essa tristeza precisa servir de alavanca para que se projete lá na frente como um vencedor, ela, a vida,  é feita de "hojes". Um após o outro. E hoje decido estar feliz, sem interferências externas. Sou feliz porque sou linda, feliz porque estou feia. Feliz porque sou magra, feliz porque estou gorda. Feliz porque sou rica, feliz porque estou pobre. Feliz porque sou saudável, feliz por estou doente. Feliz por  que sou amada, feliz porque estou sem amor. Feliz por que estou viva e a morte, deixa pra lá. É  questão de olhar a vida sob um ângulo diferente, sob uma nova perspectiva. Graças a Deus a nossa mente pode ser manipulada por nós mesmos, não dependemos de outras pessoas para ter o controle sobre aquilo que somos ou podemos ser, depende de nós. Que o seu dia comece com uma faxina nos seus sentimentos. Xô poeira!

Déa Corrêa    

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Relacionamentos envelhecidos

Relacionamentos envelhecem. Como roupas velhas que precisam ser trocadas, mudam as suas características iniciais, aparecem alguns furos, as cores ficam desbotadas, com uma aparência cansada, não combinam com nada, acabam sendo jogadas fora.
 Na natureza  as árvores também envelhecem, no outono algumas folhas ficam amareladas, caem  sem vida mesmo, mas ao brotar da primavera,  renascem  e voltam a sua forma natural, linda e exuberante, como se fosse árvore nova que acabou  de ser plantada.
Penso que alguns relacionamentos precisam de vez em quando se espelhar na natureza, trocar as folhas velhas, dar uma boa chacoalhada para que caiam as que estão sem vida e que sirvam de adubo para a próxima florada. As que permanecem grudadas ao tronco precisam de cuidados para continuarem vivas nas próximas primaveras, não podem ser esquecidas.
Relacionamentos envelhecem por diversos motivos. O principal deles é a falta ou o excesso de cuidados. Erramos às vezes na dosagem. Não temos discernimento do quanto é necessário de atenção e carinho para que cada uma das partes permaneçam felizes. Cada um vem com uma necessidade. Uns de serem amados, outros de oferecerem amor, e outros, precisam de um pouco de cada coisa. O caldo entorna quando necessitamos de coisas que o outro não consegue nos oferecer. E não oferece, porque não sabe daquilo que o outro necessita. Alguns se doam em excesso e acabam cansados e frustados por não serem recompensados. Outros permanecem ali ao lado comendo as migalhas que sobram. Outros ainda vivem a fazer sacrifícios, passa por cima das suas vontades, dos seus desejos, se anulam para agradar. O que sei é que nenhuma pessoa consegue ser feliz se as suas necessidades não forem supridas. Como alimento necessário à sobrevivência é preciso compartilhar cuidados na medida certa  
Relacionamentos tendem a envelhecer naturalmente, mas não precisam morrer porque ficaram velhos. Há esperança na maturidade. Cabe a cada um a responsabilidade pela manutenção dessa união, manter a chama do amor sempre acesa, com palavras, gestos e atitudes.
O renovo vem, sempre que um e outro se dispuserem a recolher as folhas mortas para que as novas possam brotar...