segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Portas abertas

Sentimos medo em começar novos relacionamentos.
Fechamos as portas das nossas vidas por receio de um sofrimento que nem sabemos se irá acontecer.
Como árvores que vivem numa mesma floresta e se mantém afastadas, fechamos as portas da nossa vida e perdemos a oportunidade de experimentar a alegria das boas novas, das coisas diversificadas.
Ás vezes é preciso deixar o medo do lado de fora e se jogar na vida, sem receio de sofrer. Fazer as mesmas coisas, conviver com as mesmas pessoas, manter a vida dentro de uma caixinha, não é garantia de que tudo correrá bem. O novo pode ser prazeroso, pode representar mudanças na vida e é essas mudanças que renovam a nossa alegria de viver. Nem sempre o que já foi feito, o que já foi dito, o que já foi compartilhado, representa a mesma escala de valores para a outra parte.
Até mesmo numa floresta com árvores rareadas, algumas conseguem esticar os seus galhos e tocar a outra, ás vezes esse pequeno gesto representa a diferença entre a vida e a morte. Juntas, elas, as árvores são muito mais fortes. Estica os braços, sem medo de alcançar o desconhecido, de viver o novo, você pode se surpreender com a criatividade de Deus em nos proporcionar coisas boas....
Déa Corrêa
  



Nenhum comentário: