terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Mulher que salta muralhas

"Pois contigo desbarato exércitos, com o meu Deus, salto muralhas"II Samuel 22:30
Hoje eu não vou escrever uma mensagem, vou contar pra vocês como foi o meu dia e como ele terminou:
Acordei de manhã, por volta das 7:00hs, preparei o café da manhã das crianças (eu tenho 03 filhos), já deixei o almoço adiantado, só para terminar quando eu retornasse por volta do meio dia, tinha que ir na gráfica levar uma embalagem do meu cliente.Hoje é terça-feira, dia em que eu trabalho na igreja, na tarde da benção, no período da tarde, eu não abro mão por nada deste compromisso, para fazer a obra é preciso muita determinação, e hoje foi um dia daqueles, coisa comum que acontece com todas nós e nos tiram do prumo.No meio do caminho para meu trabalho eu percebi que tinha deixado as embalagens em casa e eu tinha que voltar para buscar.Resolvi passar antes no mercado que a minha despensa estava vazia, cheguei no estacionamento, conferi se o cartão do banco estava na carteira, fiz todas as compras passei no caixa e na hora de pagar as compras o cartão era recusado, insisti, digitei a senha várias vezes, não foi autorizado o pagamento, peguei outro cartão, eu não lembrava a senha, tive que deixar as compras lá e pedi que eles deixassem reservado até que eu voltasse com o dinheiro para pagar, passei em outro caixa eletrônico eu sabia que tinha dinheiro lá, a pessoa que estava a minha frente terminou de usar, quando eu introduzi o cartão a máquina parou de funcionar, nesta hora eu já estava no limite do meu controle emocional, sai do caixa eletrônico, voltei para casa, liguei para o marido, briguei com ele, resolvi ir até o banco ver o que estava acontecendo, não consegui estacionar, deixei o carro longe, vim a pé, tentei sacar o dinheiro, saldo insuficiente, voltei para casa, resolvi consultar o saldo pela internet, o meu cartão com a chave de segurança, não estava aceitando, liga de novo para o marido, depois de 15 ligações eu consegui pedir  o número de uma chave, descobri que um depósito do dia 17 não caiu na conta estava como operação irregular, resolvi voltar no banco onde o depósito foi feito, detalhe, eu fui a pé, entrei no banco, fiquei na fila, a atendente me informou que não foi colocado o nome do destinatário no cheque, por isso não foi compensado, então me dá o cheque que eu deposito de novo: senhora o cheque já foi reapresentado, enquanto eu estava caminhando para ir ao banco, o meu esposo ligou lá e mandou depositar o cheque de novo, voltei novamente para casa, a estas alturas eu já estava fumaçando, a temperatura era de uns 35 graus, mas eu estava com 50.Cheguei com os nervos a flor da pele, esmurrei a parede, xinguei, chorei de tanta raiva, falei que não ia mais na igreja hoje, como eu poderia louvar ao senhor depois de passar tanta raiva, mas Deus que é grande e misericordioso, que me amou de um modo tão especial, me encorajou, e eu me levantei, terminei de arrumar o almoço para as crianças, mas não ia dar tempo para eu almoçar, resolvi, fritar um ovo para comer mais rápido, preparei a frigideira, quando eu quebrei o ovo, ele estava podre, eu tinha vontade de gritar, pegar aquela frigideira e jogar na parede, eu que sou tão controlada nas minhas emoções, acho que hoje o senhor resolveu testar o meu controle.Mas não foi isso que eu fiz, joguei no lixo o ovo podre, lavei a frigideira, fiz outro e fui para a igreja, o culto foi uma benção, os louvores falaram fundo no meu coração e eu tive a oportunidade de pedir perdão ao senhor pelo meu descontrole, a palavra foi sobre o endemoniado gadareno, que não tinha referências de quem ele era, quem era o seu Deus, por que aquela cidade, Gadara, era constantemente invandida por outros povos e cada vez que isto acontecia, eles eram obrigados a mudar os seus costumes, os seus deuses, mas eu não, moro num país livre e eu sei o Deus em que eu tenho crido, e não posso me resignar com as ciladas do inimigo para me tirar a paz,  olhando agora eu vejo que o que me deixou tão irritada, se eu estivesse no domínio das minhas emoções, não me abalariam, não era para tanto.Irmãs em nome de Jesus quando acontecer com você estas tempestades,o senhor nos fala sobre o dia mau,  não faz como eu, seja firme, hoje eu me deixei levar, mas amanhã eu vou enfrentar este inimigo de frente, o meu Deus é muito maior do que tudo isto, foi um dia de luta, mas a vitória chegou assim que eu me coloquei na presença do senhor. A sua luta pode ter sido outra, mas a estratégia para a batalha é a mesma, mostre para o seu inimigo quem é o seu Deus e o que ele pode fazer.

Déa Corrêa

2 comentários:

clelia tersetti zerbini disse...

Minha querida irmã,que prova héin?
Mas no final vc venceu,porque vc foi adorar a Deus,e o inimigo caiu por terra ,muitas vezes passo muitas batalhas antes de chegar a igreja,por exemplo:cara feia do marido,porque era feriado e ele não entende,porque preciso ir para a igreja,mas com Deus saltamos muralhas,e quando volto para casa tudo passa,o inimigo se levanta prá cair.Glorias a Deus beijos Clelia

Déa Correa disse...

Oi, amiga, fico feliz de ver que você também venceu esta batalha(esta vai se chamar a batalha do recado, (segredinho nosso), a vitória é sempre nossa, quando fazemos a escolha certa.Deus a abençoe!!!

Déa