terça-feira, 20 de dezembro de 2016

O barulho da chuva

Corro da chuva como quem foge do tempo. Me escondo, mas não estou imune aos seus pingos. O barulho da chuva me acalma. A força da tempestade me assombra. A chuva tem o poder do renascimento, da renovação, quando chega com força lava a alma aflita e acalma os corações sofridos. Em tempos de choro busco um ombro amigo e não o encontro em meio aos tantos que já abracei. Meu sofrimento não incomoda. A ninguém importa o meu coração triste. Sirvo apenas para aplacar o sofrimento daqueles que não encontram nada pelo caminho. Sou como o farol para o navio perdido nas noites de tempestade. Sozinha tento encontrar a luz que me guia no caminho certo. Mas nem sempre ela se encontra no caminho por onde costumo caminhar. é preciso encontrar a direção, e sempre que me sinto perdido, estou sempre só. é um vazio que invade a alma. Vivo de alegrias, mas os momentos de tristezas me fazem crescer e alcançar a estrada, O caminho eu sigo sozinho fugindo da chuva e tentando parar o tempo...

Nenhum comentário: