Castelo de cartas

Quando tudo ao nosso redor começa a ruir, é que percebemos que alguns dos nossos castelos mais queridos, foram construídos sem estruturas reforçadas. Os relacionamentos, no casamento, nas relações de trabalho, de amizade, de família,  para subsistirem nas tempestades muito fortes precisam de bases muito sólidas e na maioria das vezes não sabemos como andam os alicerces desses relacionamentos e somos surpreendidos quando há o rompimento definitivo. Posso afirmar com certeza de que nenhuma relação acaba por um motivo apenas, sempre há vários fatores que contribuem para esse desfecho, não se deve ignorar os sinais. Um relacionamento saudável é baseado em respeito, confiança, fidelidade e dedicação, não importa sobre qual espécie de relacionamento estamos falando, qualquer um deles tendo estas bases como primícia é passível de sustentação durante as tempestades e não corre o risco de ver abaladas as suas estruturas. As intempéries que fazem ruir os relacionamentos começam com pequenos respingos de chuva, ás vezes é uma chuva ácida, fraca, que corroem as paredes aos poucos, mina todas as chances de recuperação porque não são visíveis, como ossos com osteoporose, vão enfraquecendo as paredes. Há que se prestar atenção aos detalhes, nenhuma parte pode ser negligenciada. Situações do dia a dia, palavras, dão pistas sobre esses pequenos abalos. Não espere acabar as chances de recuperação para buscar ajuda, se necessário procure um profissional competente, alguém que possa te ajudar na reconstrução. Essa ajuda pode ser de um amigo, de um terapeuta, de um pastor, de alguém que tenha a sua confiança. No trabalho, nunca pense que é o melhor naquilo que faz, sempre há alguém capaz de fazer de forma mais competente. No casamento, é uma relação que precisa ser vivida à dois, com responsabilidades e deveres iguais, sempre buscando o bem estar do outro, não o seu. Nas amizades, presta atenção sobre os interesses que movem esses relacionamentos, amizades precisam ser desinteressadas, movidas apenas pelo prazer da companhia. Nas famílias, a conversa não pode deixar de existir, tem que haver liberdade para tratar sobre todos os assuntos, nada pode ficar encoberto ou mal resolvido. O sucesso dos relacionamentos dependem do quanto as partes envolvidas estão dispostas a se doarem para preservação deles. Ainda que existam barreiras e conflitos a serem resolvidos, se houver interesse de todos na preservação desses relacionamentos, não serão surpreendidos quando por qualquer motivo algumas dessas bases ruírem, porque se terá a certeza de que não havia mais nada a fazer, além de deixar os castelos ruírem. Relacionamentos por mais resistentes que pareçam, acabam. Há rompimentos nas amizades, acontecem divórcios, funcionários exemplares são demitidos, famílias se separam. Tenha sempre em mente que o alicerce de qualquer relacionamento é feito de respeito, confiança, fidelidade, dedicação e muito amor entre os envolvidos. Não esquece que relacionamentos são compartilhados, não dá para construir sozinho as bases para sustentação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palavras

Pronta para recomeçar