Palavras

Quisera eu ter o dom das palavras de paz e ouvir somente aquelas que pudessem me alegrar. Que nenhuma delas no caminho perdessem o sentido. Que tudo o que se dissesse fosse entendido da maneira imaginada. Que nenhum pensamento verbalizado inundasse o coração de tristeza. Que todas as palavras proferidas de forma errada, pudessem voltar e ser reformuladas. Que a vida com as palavras pudessem entrar em acordo e só fizessem rir. Que nenhuma lágrima fosse derramada por causa das palavras que entristecem. O decreto da vida das palavras deveria ser, se vai entristecer volta e espera mais um pouco na fila até a raiva acabar. Palavras deveriam ser de amor, com beijinhos e corações para lembrar, que nenhuma delas deveriam fazer chorar. Palavras que causam dor, poderiam ser banidas da vida, só as de paz e de amor é que deveriam continuar. Já que as pessoas não pensam para falar, as palavras é que deveriam voltar, quando percebessem que iam magoar. Para não perder o sentido, palavras deveriam se examinar, o coração agradece quando as palavras ensinam a amar. Voltas e voltas para dizer "palavras cuidado, meu coração é frágil e pode se machucar".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pronta para recomeçar

Castelo de cartas